HBSIS
Operadoras de planos de saúde investiram 63,2% do orçamento em Tecnologia da Informação em 2014

Estudo realizado pela IT Mídia em parceria com a PwC revelou ainda que 100% das companhias acreditam que este é o principal caminho para um crescimento sustentável. Para Gilberto Moura, coordenador de projetos da HBSIS, aplicações voltadas para a medicina preventiva ganham cada vez mais espaço no setor

Com taxas de sinistralidade cada vez mais altas – no último ano a média foi de 77,5% - as operadoras de planos de saúde buscam na Tecnologia da Informação (TI) a redução de custos e o equilíbrio necessário para o crescimento sustentável. Foi o que apontou um estudo realizado pela IT Mídia em parceria com a PwC. Em 2014, as companhias destinaram entre R$ 2 a R$ 8 milhões para o setor. O número representa uma média de 63,2% do faturamento anual das companhias.

Para Gilberto Moura, coordenador de projetos da HBSIS, soluções voltadas para o setor de medicina preventiva também ganham espaço nesse cenário. “Elas auxiliam na redução de custos e mostram que as ações voltadas para a prevenção geram frutos em longo prazo, como a reversão de doenças em estágio inicial”, explica.

Gilberto destaca que a empresa, que desde 2008 atua no segmento através do HB.Prever, acredita que a tecnologia tem muito a contribuir para que as operadoras atinjam o crescimento sustentável. “A pesquisa apontou aquilo que nós acreditamos: investir em soluções que otimizem a gestão e ofereçam novos caminhos é fundamental. Os investimentos em TI no último ano revelam que os gestores também tem consciência disso”, conclui.

Redução de custos com maior longevidade
Atualmente a média de expectativa de vida dos brasileiros é de 74,9 anos. Na última década, ela cresceu mais de três anos. O número revela uma preocupação comum entre as operadoras: beneficiários vivendo mais e, nem sempre, com saúde. Para isso, a medicina preventiva se tornou uma aliada das companhias. Através de ações e monitoramento de saúde, softwares como o HB.Prever auxiliam na busca pela longevidade com qualidade de vida.

“Doenças crônicas como diabetes e hipertensão são as mais comuns entre os grupos considerados de risco, aqueles que utilizam com frequência o serviço médico. Esses problemas podem ser evitados ou controlados através de uma rotina mais saudável. É isso que as operadoras propõem e o HB.Prever auxilia na mensuração de resultados e criação de ações. Mais do que reduzir custos, é dar a oportunidade das pessoas viverem melhor”, conclui o coordenador da HBSIS.