HBSIS
HBSIS forma a primeira turma da Academia de Programadores Cobol

Objetivo da empresa é dar continuidade aos estudos iniciados pelos estagiários do programa Geração TEC, do Polo Tecnológico de Informação e Comunicação da Região de Blumenau (Blusoft). Após doze semanas de aulas, os participantes passam a integrar a equipe da empresa

Criada em 1959, a Common Business Oriented Language (Linguagem Orientada a Negócios), mais conhecida como Cobol, é uma linguagem de programação presente em 85% das transações comerciais mundiais. Utilizado nos serviços da HBSIS, empresa catarinense de tecnologia, o Cobol enfrenta apenas uma dificuldade: programadores da nova geração que saibam utilizá-lo amplamente. Atualmente, o mercado de tecnologia sofre uma defasagem de 39,9 mil profissionais qualificados e o número deve aumentar para 117 mil em 2015, segundo o IDC.

Buscando antecipar a resolução deste problema, a HBSIS criou a Academia de Programadores Cobol. A atividade é direcionada para os aprendizes que ingressam na companhia através do programa Geração TEC, do Polo Tecnológico de Informação e Comunicação da Região de Blumenau (Blusoft),que cria oportunidades para jovens e adultos por meio de qualificação profissional. A primeira turma, formada por cinco estagiários, se formou nesta terça-feira (28).

Os profissionais passaram por um treinamento de doze semanas, com quatro horas diárias de aula expositiva/prática, além de uma hora de tutoria. Segundo os diretores da HBSIS, Humberto Matesco e João Luiz Kornely, a ideia de ampliar os estudos e formar mão de obra qualificada de acordo com as necessidades da empresa já vinha sendo estudada há algum tempo.

“Conseguimos colocar em prática e esta iniciativa irá acontecer anualmente. A HBSIS busca crescer e ampliar a sua atuação nos próximos anos e para isso é necessário investirmos em mão de obra qualificada”, explica João. “O Cobol é uma linguagem muito viva e faz parte da nossa rotina. Quem se formou aqui está expandindo as oportunidades para o mercado de trabalho”, completa Humberto.

O projeto iniciou no dia 11 de agosto e envolveu sete profissionais da HBSIS que atuaram como instrutores, além de coordenadores e gestores das áreas de desenvolvimento e projetos. Rodrigo de Mello Demo, responsável pela coordenação da Academia ressalta que a falta de mão de obra e a necessidade de ampliação dos conhecimentos foram o start para o lançamento do projeto. “É fundamental para o profissional de TI acompanhar as mudanças e aperfeiçoar seus conhecimentos. A academia, além de formar novos profissionais, proporcionou uma troca e reciclagem daquilo que utilizamos em nosso dia a dia”, conta.

Alunos e instrutores apontam para a importância da iniciativa
Com aproveitamento total de 83,36%, a estagiária e agora contratada Deise Rech foi a participante com melhor desempenho no programa. Ela falou sobre a iniciativa da HBSIS e a importância para quem está ingressando na carreira de TI. “Foi uma experiência gratificante que nos ajudou a crescer, que abriu um novo horizonte em nossas vidas. A HBSIS nos deu um voto de confiança e ofereceu a oportunidade de atualização aos mais experientes e abriu as portas a outros que tinham apenas uma coisa a oferecer: a vontade de aprender”, apontou.

Jackson Ricardo Wippel, que atua na área de desenvolvimento da empresa e foi um dos instrutores da Academia, ressaltou a iniciativa e a oportunidade de auxiliar na formação de novos profissionais. “Foi uma das melhores experiências já realizadas nesses nove anos de empresa. Tive a oportunidade de ensinar e também de aprender; pudemos passar nosso conhecimento com tranquilidade e objetividade ao mesmo tempo em que os alunos puderam absorver esse conhecimento com eficiência. Tive a oportunidade de me aperfeiçoar, organizar minhas ideias e reforçar meus conceitos”, concluiu.

Fonte: Melz | Assessoria de imprensa - HBSIS